Prazer, Rotas e Vidas




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Otilina Silva

Sinopse:

Prazer Rotas e Vidas procura valorizar, num tempo de auroras imprevistas, cada instante que a vida nos proporciona. Aos jovens, nos seus dilemas e desafios, incute esperança. Àquelas a quem a vida maltratou, lembra que o Criador nos dotou de uma Razão, que se não limita a apontar erros, porque é capaz de traçar novos caminhos e lutar pela Felicidade do instante que passa. Em 2007, a bordo do navio de cruzeiros “Splendour of the Seas”, numa viagem de Portugal ao Brasil, cinco senhoras partilharam refeições e ideias. Apesar das vivências e profissões diferenciadas, acabaram por se tornar amigas no convívio do dia a dia. Nas horas de lazer que a viagem proporciona, abordam o sagrado e o profano; falam das suas experiências de vida, da droga, do prazer, da educação, da família, das suas emoções e saberes. Temas como Freud, Moisés, valores estéticos e viagens são também assunto de conversa. Algumas dessas amigas voltaram a encontrar-se, no Transiberiano, o grande expresso, em 2009. Na descoberta de culturas e lugares, partilham novos conhecimentos e amizades.

Índice:

APRESENTAÇÃO CRÍTICA por MARIA SUSANA MEXIA

A busca do prazer é uma alegre e premente constante no fluir dos nossos dias.
A vida é um caleidoscópio de experiências, sensações, afectos, paixões e muita, muita ânsia de felicidade.
Esta miragem interpela-nos e urge-nos, o homem numa incessante busca de sentido, dá luz, tom e cor à sua precária mas não finita existência.
Toda a nossa vida tem um tempo para nascer, crescer e morrer, importa, pois, não fragmentar a cadência do seu sereno evoluir nem precipitar os acasos dum fluente desabrochar.
De cariz muito complexo, amplo e abrangente o Prazer move-nos e impele-nos em busca da almejada felicidade que, ora em tons de alegria, ora em nostálgicos acordes mais ténues e cinzentos, não ousamos desistir de conquistar.
O tempo duma vida não torna a voltar, a sua inexorável vertigem não se compadece com paragens, recuos, indecisões. O Prazer, ambição suprema do pobre mortal, é uma borboleta colorida que esvoaça muito perto de nós, toca-nos, atrai-nos mas só o nosso destemido e decidido gesto a pode alcançar.
Em cada pessoa há um gérmen de eternidade que a impele a lutar, a ir em frente mesmo quando a adversidade a cerceia e o desgosto ou a doença lhe batem à porta.
A vida é uma ventura e é no seu risco que está o desafio para a conquista da felicidade, nesse quente – frio, doce – amargo, que apimenta e provoca o acrescentar de mais sentido.
Mais importante do que começar é sempre recomeçar, pois das quedas e dos desgostos tiram-se lições de saber infinito.
De tudo isto este livro nos fala e interpela sem quase o sentirmos. Oceano adentro mergulhamos num imenso espaço de abertura de horizonte, somos conduzidos pelo esplendor dum azul que nos mergulha em confluências de culturas, de sons e de tons, de saberes e de sabores.
Transversal ao romance perpassa a veia filosófica e pedagógica da autora que não perde a oportunidade de pôr a tónica numa formação para a cidadania, de realçar a pertinência dos valores, de salientar a importância da família na educação para os afectos que, em liberdade, se constroem.
A certeza de que o homem é o senhor do seu próprio destino para além de eventuais acasos, e de que a felicidade é uma conquista fruto do seu labor, impele a uma acção positiva e dirigida no sentido de claros objectivos a concretizar.
Ainda não repostos dos efeitos duma aventura marítima, logo somos arrastados para o desbravar dum mundo sem fim, como infinito é o sonho das almas grandes e sonhadoras.
Eis-nos então passageiros virtuais num transiberiano, qual filme que, de aventura em peripécia, nos revela uma história oculta, nos desvenda paisagens de beleza ímpar ainda existentes no nosso azul planeta.
Outras Rotas, outras Vidas, prazeres nunca encontrados, sonhos que não ousaram ser sonhados à espera de realização num lugar feliz na história da vida de povos sofridos e doridos.
Para todo o ser humano a espiritualidade é um caminho de conquista de paz e de promessa de felicidade eterna, esse sonho dourado que, em rota metafísica, está para além do confinado horizonte político dum hoje fugaz que em tempo de passagem não se compadece dos tíbios ou amorfos.
De beleza inexcedível há todo um mundo que se abre a quem ousa lutar pelo Prazer e faz da sua Vida uma Rota de felicidade.

Êxitos e fracassos são a medida da nossa capacidade de querer ser feliz, de amar e transcender-se no sentido do mais e do melhor.
Este livro, o 11º da autoria de Otilina Silva, agora editado pela Colibri, é um desafia à aventura da conquista do prazer, é um hino à amizade e à força que nos impele a construí-la sob pena de chegarmos ao fim da jornada sem termos existido, sido úteis ou ter deixado algum rasto.

Detalhes:

Ano: 2010
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 285
Formato: 23x16
ISBN: 978-972-772-966-1
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
28/11/2017
E ANICETO VEM À LUZ, da autoria de Joseia Matos Mira
LANÇAMENTO: Dia 28 de Novembro de 2017 (3.ª feira), às 18h00, na Biblioteca Palácio Galveias, em Lisboa. Apresentação: Fernando Couto e Santos

28/11/2017
CONVERSAS SOBRE HISTÓRIA DA MÚSICA, da autoria de Jorge Costa Pinto
LANÇAMENTO: dia 28 de Novembro de 2017 (3.ª feira), entre as 11h30 e as 12h30, na Salão Nobre Academia Sénior, na Parede

27/11/2017
ROMEU CORREIA, com coordenação de Edite Simões Condeixa
LANÇAMENTO: Dia 27 de Novembro de 2017 (2.ª feira), às 18h00, no Fórum Municipal Romeu Correia, em Almada. Apresentação: Vitor Fernandes – poeta e romancista

25/11/2017
ANTÓNIO MARIA LISBOA – Eterno Amoroso, da autoria de Joana Lima
LANÇAMENTO: dia 25 de Novembro de 2017 (sábado), às 17h00, na Livraria Letra Livre, Galeria Zé dos Bois, em Lisboa

20/11/2017
JOÃO INOCÊNCIO CAMACHO DE FREITAS, da autoria de João Abel de Freitas
APRESENTAÇÃO: Dia 20 de Novembro de 2017 (2.ª feira), às 18h00, Auditório da Reitoria da Universidade da Madeira. Apresentação – Marcelino de Castro (Director da Revista Islenha)

18/11/2017
ANGOLA – O 4 de Fevereiro de 1961 em Luanda e Outras Memórias, da autoria de César Gomes
LANÇAMENTO: dia 18 de Novembro de 2017 (sábado), às 15h30, Auditório do Hotel Solverde, Granja (Espinho)

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99