Caderno de Bitácora

A Cultura da Gândara




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Gabriel Frada

Sinopse:

Hojo é muito difícil imaginar a escassez de povoamento que se verificava, em épocas não muito remotas, por toda a região gandaresa. D. Juan Garcia Bacelar, fidalgo galego, natural de Pontevedra, em determinado momento difícil da sua vida, fez voto a Nossa Senhora de lhe edificar um templo no sítio mais ermo que encontrasse. Em 1610, passeava ele pela Gândara quando, vendo tanto abandono, se lembrou da promessa e mandou construir uma ermida, dedicada a Nossa Senhora da Atocha. À volta desta ermida, formou-se um lugarejo que deu origem à actual vila da Tocha. Além de vastos areais, grande parte da Gândara estava cheia de charcos de água, tornando difíceis as comunicações com outras gentes. Além do isolamento a que foi votada, a pobreza do solo agrícola moldou a vida dos gandareses, obrigando-os a encontrar respostas que lhe garantissem a sobrevivência: fizeram-se lavradores-pescadores, moliceiros, "ratinhos", "caramelos" e desenvolveram laços de inter-ajuda em verdadeiro comunitarismo agro-piscatório de que ainda se conservam "marcas" na cultura gandaresa. Poderá dizer-se com propriedade que "a riqueza desta obra está tanto na atenção prestada aos mais insignificantes fenómenos da vida tradicional e ao detalhe da sua descrição, como na tentativa de integração e interpretação destes factos". Assim, afigura-se "como um ensaio interpretativo de um vasto consjunto de factos da vida tradicional da região gandaresa e do seu povo modesto e trabalhador... desde a dimensão etnográfica e sociológica até á definição do traço antropológico significativo".

Detalhes:

Ano: 2009
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 302
Formato: 23x16
ISBN: 978-972-772-914-2
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
16/12/2017
CONTOS PRÓDIGOS (e outros) VADIOS, da autoria de Conceição Oliveira
LANÇAMENTO: dia 16 (sábado) de dezembro de 2017, pelas 16h00, na Biblioteca Municipal de Aveiro

16/12/2017
EM NOME DO FILHO, da autoria de Manuel da Luz
LANÇAMENTO: Dia 16 de Dezembro de 2017 (sábado), às 15h15, no Museu de Portimão. Apresentação: Dr.ª Dália Paulo

16/12/2017
ANARQUISMO MODERNO, MAS NÃO PÓS-MODERNO, Org: António Cândido Franco, Carlos Abreu, João Freire, Manuela Parreira da Silva, Maria Alexandre Lousada
LANÇAMENTO: Dia 16 de Dezembro de 2017 (sáb.), às 15h00, no Museu do Aljube, em Lisboa. Apresentação: José Bragança de Miranda

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99