Nova Síntese, n.º 5 (2010)

textos e contexto do neo-realismo




Recomendar livro a um amigo
Directores: Vítor Viçoso

Sinopse:

Na sequência dos números anteriores de Nova Síntese – revista que se propõe, é bom recordᬠlo, «incentivar a renovação dos estudos sobre o neo¬ realismo e o seu contexto mais amplo» (n.º 1, p. 5) – o presente fascículo representa uma tentativa de aprofundar o discurso crítico sobre a poesia neo¬ realista, produzindo uma exegese, tão ampla quanto possível, sobre a obra poética dos intervenientes do movimento que dinamizou a cultura portuguesa nas décadas de 40, 50 e 60 do século XX, com epígonos ainda na década seguinte. Sem pretender exaurir os diversos aspectos que a poética neo¬ realista assumiu como traços distintivos de um produto que sempre procurou a confluência entre a ética e a estética, este número fornece, porém, assim o cremos, estudos que, embora seguindo diversas metodologias, de algum modo iluminam arestas ou possíveis zonas de sombra que estereótipos ainda hoje enraizados em certa crítica, até universitária, pretenderam acentuar, quanto a nós partindo de um princípio inútil e estéril, isto porque nunca foi capaz de considerar até que ponto a poesia neo¬ realista pôs em causa um discurso poético que tendia para formas e fórmulas que, na sua opacidade, não contemplavam o país real e a necessidade de interferir no tecido social.

Índice:

1. A POESIA DO NEO-REALISMO

1.1 LITERATURA

Nota Introdutória

Itinerários de uma poética
por Manuel G. Simões

A herança do romantismo social na poesia do neo-realismo português
por Sílvio Castro

A revista presença e a poesia neo-realista
por Eugénio Lisboa

Os poetas do “Novo Cancioneiro”. Uma realização polifónica
por Fernando J.B. Martinho

A poesia de Fernando Namora. Terra, um contributo para o conhecimento da gleba
por Fernando Batista

João José Cochofel, poeta da revolta melancólica
por José Ferraz Diogo

Carlos de Oliveira: “a procura das melhores palavras”
por Izabel Margato

Um “Pucarinho de esperança” – A literatura para crianças em Sidónio Muralha
por Violante F. Magalhães

Armindo Rodrigues – O poeta do lirismo que nos interroga,
ou a inquieta modernidade na configuração do real
por Domingos Lobo

Algumas considerações sobre o “Cancioneiro Vértice”
por Luís Serrano

Utopia e distopia no universo poético do neo-realismo (Notícias
do Bloqueio, de Egito Gonçalves e A Invenção do Amor, de Daniel Filipe)
por Carlos Loures

O sistema interrogativo de Egito Gonçalves
por Maria Alzira Seixo

António Gedeão: uma “envolvente solidão compacta”
por Fernando Guimarães

A poesia e a dimensão cultural nos espaços coloniais e pós-coloniais
por Carlos Jorge Figueiredo Jorge


1.2 ARTES VISUAIS

Lisboa, cidade triste e alegre – As imagens e as palvras no “poema gráfico” de Victor Palla e Costa Martins
por David Santos

2. O ano de 2010 no Museu do Neo-Realismo

3. Actividades da Associação Promotora do Museu do Neo-Realismo (2009)

Detalhes:

Ano: 2010
Capa: capa mole
Tipo: Revista
N. páginas: 272
Formato: 23x16
ISSN: 1646-5989
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
31/05/2017
ECLÉTICA II - em formação (Regulamento)
INFORMAÇÃO DETALHADA: clique em "links" *ECLÉTICA II, nesta página

31/05/2017
CONCELHO DE TONDELA – HERÁLDICA, HISTÓRIA E PATRIMÓNIO, de Luís Ferros, Manuel Ferros e Rui do Amaral Leitão
BREVEMENTE DISPONÍVEL

28/04/2017
OUTRORA EU ERA DAQUI, da autoria de Maria do Vale Cartaxo
LANÇAMENTO: dia 28 de Abril de 2017 (6.ª feira) às 18h30, na Biblioteca Municipal Manuel Teixeira Gomes, em Portimão. Apresentação: Elisabete Rodrigues e Dora Pereira

28/02/2017
ODÉLIA E A METAFÍSICA, de Fernando Barata Freitas
DISPONÍVEL PARA VENDA a mais recente obra de Fernando Barata Freitas. Aqui mesmo: http://www.edi-colibri.pt/Detalhes.aspx?ItemID=2081

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99