Cinema no Estado Novo

A Encenação do Regime




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Patrícia Vieira

Sinopse:

Este livro analisa os filmes produzidos nas três primeiras décadas do Estado Novo, abordando temas como cinema e propaganda, filmes históricos, cinema e ruralidade, a figura feminina nos filmes da época, cinema e religião, ou filmes sobre o império colonial. A filmografia deste período pode ser mapeada ao longo de um continuum que se estende dos filmes mais abertamente propagandísticos aos que se afastam ou procuram mesmo contestar a hegemonia do salazarismo. Através de uma análise multifacetada destas obras, mais ou menos próximas do regime, emergem não só os traços fulcrais do Estado Novo mas também as suas contradições e fracturas. Os filmes são aqui considerados quer na sua faceta de objectos estéticos, que dialogam com as correntes cinematográficas do seu tempo e exprimem a visão artística dos actores, realizadores e técnicos que neles participaram, quer como criações de uma indústria sujeita aos condicionalismos do estadonovismo, que viu no cinema uma forma de difundir os seus princípios e que, por esta razão, estabeleceu um conjunto de mecanismos para estimular mas também controlar a produção fílmica.

Índice:

Agradecimentos

Introdução: O Cinema no Estado Novo

1. A Propaganda do Estado Novo em A Revolução de Maio
1.1. Verdade e Propaganda no Cinema
1.2. Salazar e a Verdade como Ideologia
1.3. Primazia da Arte: A Política do Espírito de António Ferro
1.4. A Encenação do Líder

2. Poetas em Grande Plano: Bocage, Camões e os Heróis do Regime
2.1. Literatura e Cinema na Política do Espírito
2.2. Os Heróis do Estado Novo
2.3. Contra a Inconstância Política: O Herói como Homem Sério

3. Ruralidade no Cinema: A Apologia de uma Sociedade Natural
3.1. Filmes Regionais ou Folclóricos
3.2. Um Cinema Natural
3.3. Dissídio entre o Campo e a Cidade
3.4. Capitalismo, Comunismo, Corporativismo

4. O Milagre do Salazarismo: Razão e Religião em Fátima, Terra de Fé
4.1. Fátima no Estado Novo
4.2. Razão, Fé e Política
4.3. Complementaridade entre Fé e Razão
4.4. Para além da Razão e da Fé: O Risco do Niilismo

5. O Fado das Mulheres Perdidas: Estereótipos de Género no Cinema
5.1. As Mulheres no Cinema do Estado Novo
5.2. Cantar como Transgressão
5.3. Fado, Fatalismo e a Femme Fatale Portuguesa

6. O Império como Fetiche: Feitiço do Império e o Sortilégio Colonial
6.1. Portugal e o Império
6.2. A Magia de África
6.3. O Império como Fetiche
6.4. Feitiço do Império e a Propaganda Colonial

7. O Espírito do Império em Chaimite
7.1. O Espírito e a Matéria no Salazarismo
7.2. O Espírito do Projecto Imperial
7.3. A Política do Espírito em Chaimite

Notas

Bibliografia

A AUTORA:

Patrícia Vieira é professora no Departamento de Espanhol e Português e no Programa de Literatura Comparada da Universidade de Georgetown (Washington, D.C.) e Investigadora do Centro de Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. As suas áreas de investigação incluem Literatura Portuguesa e Brasileira, Cinema Português e Brasileiro, Teoria Literária e Estudos Pós-Coloniais. É autora do livro Seeing Politics Otherwise: Vision in Latin American and Iberian Fiction (Toronto: University of Toronto Press, 2011), e co-editora de Existential Utopia: Reconsidering Utopian Thought and Practice (New York: Continuum, 2011). Editou ainda o volume Politics and Identity in Lusophone Literature and Culture da revista académica Clcweb. Comparative Literature and Culture e co-editou o volume Utopias Today! do Journal of Contemporary Thought.

Para mais informações, consultar: http://www.patriciavieira.net/

Detalhes:

Ano: 2011
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 175
Formato: 23x16
ISBN: 978-989-689-156-5
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
31/12/2020
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

04/04/2020
VIAGENS E COMENTÁRIOS DE UM TEMPO SEM TEMPO, da autoria de Otilina Silva
LANÇAMENTO: dia 4 de Abril (sáb.), às 16h00, na Casa do Concelho de Alvaiázere, em Lisboa. Apresentação: Luísa Nogueira

19/03/2020
JARDINS IMAGINÁRIOS, da autoria de Francisco Martins da Silva
LANÇAMENTO: dia 19 de Março de 2020 (5.ª feira), às 18h30, na Galeria SPGL, em Lisboa

08/03/2020
KOSOVO – A Incoerência de uma Independência Inédita, da autoria de Raul Cunha
APRESENTAÇÃO: dia 8 de Março (Sábado) às 15h00, na Delegação do Clube do Sargento da Armada – Feijó. Apresentação: Major-General Carlos Branco

06/03/2020
ANTÓNIO, EM PORTALEGRE CIDADE – Romance, da autoria de Carlos Ceia
LANÇAMENTO: dia 6 de Março (6.ª feira) das 18h00-19h30, Campus de Campolide, em Lisboa. Apresentação: Profª Doutora Ana Maria Martinho

05/03/2020
A NOITE MAIS LONGA DE TODAS AS NOITES, de Helena Pato
APRESENTAÇÃO (3.ª ed): dia 5 de Março (5.ª feira) das 18h00, na Associação 25 de Abril, em Lisboa. Apresentação: Prof.ª Doutora Luísa Tiago de Oliveira

29/02/2020
MUNDO(S) – Livros 7 – Coletânea de Poesia Lusófona
LANÇAMENTO: 29 de Fevereiro (sáb.), às 16h00, na Sociedade Nacional de Belas Artes, em Lisboa. Apresentação dos autores e da obra por Ângelo Rodrigues

27/02/2020
SANTOS, HERÓIS E MONSTROS, da autoria de Carla Varela Fernandes
APRESENTAÇÃO: 27 de Fevereiro (5.ª feira), às 18h00, na Livraria Ferin, em Lisboa

22/02/2020
SANTOS, HERÓIS E MONSTROS, da autoria de Carla Varela Fernandes
LANÇAMENTO: 22 Fevereiro (sábado), às 16h00, Mosteiro se Santa Maria de Celas, em Coimbra. Apresentação: Ana Alcoforado

21/02/2020
ESTORIETAS VADIAS, da autoria de Eurico Figueiredo
LANÇAMENTO: dia 21 de Fevereiro (6.ª feira) às 18h30, na FNAC NorteShopping, Senhora da Hora (Porto). Apresentação: Luísa Feijó (tradutora) e Alexandre Alves da Costa (arquitecto)

20/02/2020
O ALENTEJO E A LUTA CLANDESTINA – António Gervásio um Militante Comunista, da autoria de Luís Godinho
LANÇAMENTO: dia 20 de fevereiro (5.ª feira), às 18h00, no Museu do Aljube, em Lisboa. Apresentação: Margarida Machado e Teresa Fonseca

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99