Loja, Contra-Loja e Armazém




Recomendar livro a um amigo

Sinopse:

Preciso desde já de começar a falar da loja. Vou defini-la, para clareza do meu espírito dela. Por consciência minha da loja que me educou, e das outras como ela, que eu conheci, provinciais. Sob qualidade, porém, duma cidade baça. Loja: termo que adquiriu extensão a todo o espaço funcional de satisfação indiferenciada de comércio ou de serviços. Perdeu o típico de ser casa de venda a retalho ou de oficina. Perdeu o carácter da proximidade coloquial, vicinal, que implicava acolhimento. Nas lojas tradicionais se dava uma forma peculiar de relação humana. A diferença radical entre as antigas lojas e as também, não obstante, assim de novo designadas, encontro-a interiormente em mim, quando alguns amigos se admiram de eu não usar computador nem telemóvel, não ter cartões de crédito nem de Multibanco. A falta da minha loja tornou-me homem antigo, rebelde e compulsivamente analfabeto, que lamenta o consumismo com que aqueles aparelhos se aparentam. E não fico sozinho nesta irmandade. Milhentas pessoas há assim analfabetas, até nomes de fama.

Detalhes:

Ano: 2011
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 214
Formato: 23x16
ISBN: 978-989 689 162 6
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
31/12/2018
FELIZ NATAL e EXCELENTE ANO NOVO
São os votos de toda a equipa das Edições Colibri

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99