Álvaro de Campos

Autobiografia de uma Odisseia Moderna




Recomendar livro a um amigo

Sinopse:

Na verdade, nota-se aqui um caso de intimidade estreita entre Campos e Pessoa, como se à mesma tribo do sentir e do recordar pertencessem. Contrariamente aos heterónimos Caeiro e Reis, que se organizam muito mais de acordo com uma atitude vital de cariz homogéneo, a evolução de Campos segue um caminho não só marcado por flutuações tonais – ao modo dos outros heterónimos – mas, mais significativamente, por dissociações internas, desdobramentos congeminadores e, acima de tudo, pela experiência desfamiliarizante da sua consciência fragilizada, desestruturada mesmo, perante o Outro. Quer dizer: a sua angústia tem a história e a opacidade dos seres vivos. Triste privilégio de uma sombra de papel a despertar não no real mas afinal na mágoa incontornável da vida.

Índice:

Parte I
Primeira Peripécia à guisa de Introdução: O Teatro das Biografias: Os conceitos de odisseia e de desfamiliarização
A. Primeiro Passo: a caminho de uma teoria
B. Segundo Passo: com um auto retrato na mala

Segunda Peripécia: O Teatro do Mesmo e do Outro: a caminho do significado cultural da odisseia através do herói homérico

Terceira Peripécia: O Teatro do Ser e do Nada no “Ulisses” da Mensagem

Quarta Peripécia: O Teatro da Ironia nas Notas para a Recordação do meu Mestre Caeiro: Campos, Caeiro, Pessoa e a Destruição da Literatura

Quinta Peripécia: O Teatro das Identidades: um exame das Cartas de Fernando Pessoa a João Gaspar Simões e o Fingimento Epistolar

Parte II
Excursus sobre alguma poesia de Álvaro de Campos
Embarcações

Primeiro Naufrágio: a Desfamiliarização da Palavra: Álvaro de Campos, o Inadequado, no poema “Saudação a Walt Whitman”

Segundo Naufrágio: a Desfamiliarização do Ser: Álvaro de Campos: o Inacabado…

Terceiro Naufrágio: a Desfamiliarização do Destino: Álvaro de Campos, o Esvaziado: a “Tabacaria” à guisa de conclusão

Epílogo: Nova Embarcação (esboço)

Bibliografia

Detalhes:

Ano: 2012
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 262
Formato: 16x23
ISBN: 978-989-689-200-5
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
11/05/2019
A NOITE MAIS LONGA DE TODAS AS NOITES, de Helena Pato
Tertúlia "Café com Livros" – LEIRIA – dia 11 de Maio (sáb.), às 15h00, a convite de Rosa Maria Neves

06/05/2019
A NOITE MAIS LONGA DE TODAS AS NOITES, de Helena Pato
APRESENTAÇÃO: dia 6 de Maio (2.ª feira), às 14h30, na Escola Básica e Secundária Gil Vicente, Rua da Verónica, n.º 37 – 1170-384 Lisboa. Conversa com a Autora e com a historiadora Luísa Tiago de Oliveira

30/04/2019
A NOITE MAIS LONGA DE TODAS AS NOITES, de Helena Pato
APRESENTAÇÃO – SANTARÉM – dia 30 de Abril (3.ª feira), às 21h00, integrada nas festas do 25 de Abril da cidade. Com Ana Carita e Helena Pato

27/04/2019
AS GARGALHADAS DE MESTRE JUJU, da autoria de Goretti Pina
APRESENTAÇÃO: 27 de Abril (dom.) às 17h00, na Casa do Alentejo, em Lisboa. Apresentação: Dolores Onofre, Lura, Mário Máximo, Solange Salvaterra Pinto, Samuel F. Pimenta, Maria Dovigo e Rosa Calado Intervenção artística: Filipe Santo e Marlene Pinto

24/04/2019
A NOITE MAIS LONGA DE TODAS AS NOITES, de Helena Pato
Conversa com a AUTORA sobre o livro e sobre "Ser jovem antes do 25 de Abril" – LISBOA – dia 24 de Abril (4.ª feira), às 16h00, na Escola António Arroio

22/04/2019
A NOITE QUE MUDOU A REVOLUÇÃO DE ABRIL, coord. de Carlos de Almada Contreiras
LANÇAMENTO: dia 22 de Abril de 2019 (2.ª feira), às 18h00, na Associação 25 de Abril, em Lisboa. Apresentação: Embaixador Francisco Seixas da Costa

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99