Faces de Eva, 29

Estudos sobre a Mulher




Recomendar livro a um amigo
Colaboração com a entidade: Universidade Nova de Lisboa
Colecção: Faces de Eva

Sinopse:

A vivência distingue o ser humano feminino e masculino, assim como a evolução histórica preside a sucessivas mutações que, sem pôr em causa o essencial da sua condição de seres humanos, a informa com o acidental das mudanças decorrentes do sem número de circunstâncias que a acompanham. De forma idêntica, a liberdade e a igualdade plasmam¬ se na actualidade/diversidade do ser livre e do ser igual. (…) É neste quadro de análise que emerge o ser humano feminino, libertando¬ se das teias de uma sociedade estruturalmente masculinizada, em que ao ser humano masculino era dada a primazia, se não a exclusividade, de domínio. Dizer que às mulheres estava reservado o espaço privado e aos homens o espaço público é sem dúvida um lugar comum que, apesar de tudo, escamoteia uma parte da realidade. Abordar a questão pessoal e social das mulheres apenas nesta perspectiva, conduz, mesmo que inconscientemente, a uma igualização no mundo feminino que se contrapõe à diversidade no mundo masculino. Os trabalhos domésticos são sempre os mesmos, as funções públicas variam, o que significa que aqueles se explicam pela uniformidade, e estes pela multiplicidade. Ora, para a mulher a conquista da liberdade tem também o sentido da conquista da multiplicidade e esta do reconhecimento de predicados comuns a todo o ser humano, feminino e masculino, e, daí, o ocaso da subalternização. Para as mulheres, ser livre significa, pois, romper com os entraves que impedem a sua realização plena como seres humanos na multiplicidade das suas potencialidades. Se a liberdade se define como una e única, ser livre contempla a diversidade e a multiplicidade. (da Nota de abertura)

Índice:

Nota de abertura


Estudos

Ana Maria Lisboa de Mello
Ligações indissolúveis de Cecília Meireles a Portugal

Jeanne de Freitas Pinheiro Souza
Fio por fio, o bordado se constrói. As representações de género em livros didáticos brasileiros de língua portuguesa das 7.ª e 8.ª séries

Isabel Drumond Braga e Inês de Ornellas e Castro
Saberes e fazeres de Berta Rosa Limpo. A construção de um êxito: O Livro de Pantagruel

Fernando Ribeiro
Escrita no feminino – Ana de Castro Osório: Uma Lição da História e Às Mulheres Portuguesas

Ilda Soares de Abreu
O Auto das Regateiras de Ribeiro Chiado e a crise conjuntural de meados do século XVI

Moíza Fernandes Almeida
O eterno feminino em mulher samaritana


Estado da Questão

125 Associação de Mulheres Contra a Violência

Entrevistas

Margarida Cardoso
Michelle Perrot


Pioneiras

Maria Augusta Barbosa
Natália Correia Guedes


(Auto) retrato

Carlota Serpa Pinto
Fernanda Santos


Toponímia no Feminino
Dulce Helena Borges
Guarda: Toponímia no feminino II


Leituras


Resumos / Abstracts / Resumes
Normas para a apresentação de originais
Proposta de assinatura


Nota: A regra ortográfica de cada artigo respeita a opção de autoras e autores.

Detalhes:

Ano: 2013
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 238
Formato: 23x16
ISSN: 0874-6885
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
16/12/2017
CONTOS PRÓDIGOS (e outros) VADIOS, da autoria de Conceição Oliveira
LANÇAMENTO: dia 16 (sábado) de dezembro de 2017, pelas 16h00, na Biblioteca Municipal de Aveiro

16/12/2017
EM NOME DO FILHO, da autoria de Manuel da Luz
LANÇAMENTO: Dia 16 de Dezembro de 2017 (sábado), às 15h15, no Museu de Portimão. Apresentação: Dr.ª Dália Paulo

16/12/2017
ANARQUISMO MODERNO, MAS NÃO PÓS-MODERNO, Org: António Cândido Franco, Carlos Abreu, João Freire, Manuela Parreira da Silva, Maria Alexandre Lousada
LANÇAMENTO: Dia 16 de Dezembro de 2017 (sáb.), às 15h00, no Museu do Aljube, em Lisboa. Apresentação: José Bragança de Miranda

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99