Os Quadros Angolanos em Portugal

Integração e Retorno




Recomendar livro a um amigo

Sinopse:

As deslocações de pessoas e de grupos posteriores ao colonialismo europeu no mundo atraíram de forma sistemática o interesse dos investigadores sob a designação genérica de “migrações”. A este termo viria a associar-se uma constelação teórica integrando diferentes temas: etnicidade, multiculturalismo, cidadania, nacionalismo, transnacionalismo, diáspora. No entanto, cedo esta terminologia caiu no domínio público, vindo a ser apropriada pelos media e pelo senso-comum. Cabe em larga medida à Antropologia o resgate conceptual e epistemológico destas questões através de observações etnográficas precisas que permitam avaliar a sua pertinência. O livro que agora dá à estampa constitui um importante contributo para o estudo dos movimentos migratórios em ciências sociais e, muito particularmente, em Antropologia. Uma das primeiras questões que o autor coloca é precisamente a adequação ao tema em análise de uma de duas possibilidades classificatórias: imigração ou diáspora, no que se refere aos quadros angolanos em Portugal e, por extensão, à comunidade angolana no país. [Rosa Maria Perez]

Índice:

Introdução


CAPÍTULO I. Apreciação Teórica: estado da arte
• Comunidades em viagem: categorias analíticas
• Etnicidade
• A etnicidade simbólica
• Etnicidade e raça
• Etnicidades e sociabilidades
• Viagem, migração e diáspora


CAPÍTULO II. Contexto de Origem
• Angola
• Localização geográfica, ecologia, população
• Caracterização natural
• População e grupos linguísticos
• Colonialismo português e marcas pós-coloniais
• O povoamento “branco”
• O trabalho forçado
• A miscigenação
• Marcas pós-coloniais


CAPÍTULO III. O contexto português (1): práticas sociais
• O contexto de chegada
• A integração social
• Relacionamento com portugueses
• A sociabilidade entre angolanos
• A família
• Ocupação do espaço: habitação
• Fontes de rendimento
• Redes de sociabilidade exterior ao grupo
• Contactos com a terra de origem (nostalgia, rituais)


CAPÍTULO IV. O contexto português (2): práticas rituais
• Rituais de iniciação
• Ritual de iniciação feminina
• Ritual de iniciação masculina
• Rituais de passagem
• Casamento
• A compensação matrimonial em Angola
• Morte
• Ritual em viagem


CAPÍTULO V. A problemática do retorno
• Encontro de quadros angolanos na diáspora
• A situação do regresso
• A perspectiva do exterior
• A integração dos que regressaram


Conclusões

Referências bibliográficas



O AUTOR:

Helder Pedro Alicerces Bahu é professor do Instituto Superior de Ciências da Educação da Huíla (ISCEd-Huíla), licenciado em Ciências da Educação – opção História, pelo ISCEd-Lubango; mestre em Antropologia: Patrimónios e Identidades, pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE); em 2012 publicou no nº 24 da Revista Internacional em Língua Portuguesa, organizada pela Associação de Universidades de Língua Portuguesa um artigo intitulado: “ A Noção de Subalternidade e o Mapa Etnográfico de Angola”. É membro do Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA). Tem desenvolvido investigação sobre a problemática da proliferação de igrejas neopentecostais e independentes africanas em Angola.

Detalhes:

Ano: 2013
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 166
Formato: 23x16
ISBN: 978-989-689-296-8
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
04/09/2017
FÉRIAS EM AGOSTO
Estimado(a)s Clientes e Amigo(a)s Entre 31 de Julho e 1 de Setembro não podemos satisfazer quaisquer encomendas, por motivo de Férias do pessoal. A partir de 4 de Setembro retomamos a nossa actividade normal. Pedindo desculpas por eventuais incómodos, agradecemos a vossa preferência... COLIBRI com gosto, para LER também em AGOSTO!

02/09/2017
FRANCO ATIRADOR – Textos de Cidadania de um Alentejano de Estremoz, da autoria de Hernâni Matos
LANÇAMENTO: Dia 2 de Setembro de 2017 (sábado), às 16h00, na Igreja dos Congregados, em Estremoz

24/08/2017
O BARRANQUENHO - Língua, Cultura e Tradição, da autoria de María Victoria Navas
LANÇAMENTO: Dia 24 de Agosto de 2017 (5.ª feira), às 21h00, no Museu Municipal de Arqueologia e Etnografia, em Barrancos

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99