5.ª Divisão - MFA

Revolução e Cultura




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Manuel Begonha

Sinopse:

Como afirma Manuel Begonha, «imediatamente após o 25 de Abril, era admissível que existisse uma certa perplexidade, senão desconfiança, relativamente ao papel dos militares na revolução, atendendo a que, num passado recente, apareciam como um dos sustentáculos do regime, não sendo despiciendo o respectivo envolvimento na Guerra Colonial». Por outro lado, como se afirma na 1.ª diretiva do Estado Maior General das Forças Armadas (EMGFA), as Forças Armadas devem «actuar politicamente, com uma presença efectiva de militares junto da população, a qual permitirá o esclarecimento das razões que levaram o país à situação lamentável em que nos encontrámos, com base no esclarecimento do Programa do MFA, e possibilitará a discussão das vias do futuro, criando condições para uma ampla participação do povo na vida nacional». As Forças Armadas, responsáveis pelo golpe militar que derrubou a ditadura, perante a ausência de liberdade de informação e reunião que caracterizava o regime anterior, acrescendo a uma ainda incipiente organização das forças e partidos políticos, sentiram-se na obrigação de desencadear ações de informação e dinamização cultural que preparassem a população para uma intervenção cívica e uma participação ativa nos atos eleitorais e na construção da democracia. A 5.ª Divisão foi a estrutura constituída para desempenhar essa missão, através da intervenção dos seus diversos departamentos. [do Prefácio de José Aranda da Silva].

Índice:

Prefácio

A 5.ª Divisão

1 – Comissão Dinamizadora Central

2 – CEIP – Centro de Esclarecimento e Informação Pública

3 – Centro de Sociologia Militar

4 – Centro de Relações Públicas



O AUTOR:

Manuel Begonha nasceu em 1943, em Lisboa. Obteve a licenciatura em Ciências Militares Navais – Curso de Engenheiro Maquinista Naval, na Escola Naval. Desempenhou comissões de serviço em vários navios e Direcções Técnicas. Participou activamente em todo o processo do 25 de Abril, designadamente como membro do Conselho de classes da Armada e da Assembleia do MFA. Delegado do Conselho da Revolução em várias comissões governamentais e membro da 5.ª Divisão do EMGFA onde coordenou as Campanhas de Dinamização Cultural. É autor de numerosos artigos em jornais e revistas, co-autor do livro MFA – Dinamização Cultural-Acção Cívica e autor do livro A viagem da Corveta. Actualmente é Presidente da Associação Conquistas da Revolução.

Detalhes:

Ano: 2015
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 178
Formato: 16x23
ISBN: 978-989-689-498-6
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
28/11/2017
E ANICETO VEM À LUZ, da autoria de Joseia Matos Mira
LANÇAMENTO: Dia 28 de Novembro de 2017 (3.ª feira), às 18h00, na Biblioteca Palácio Galveias, em Lisboa. Apresentação: Fernando Couto e Santos

20/11/2017
JOÃO INOCÊNCIO CAMACHO DE FREITAS, da autoria de João Abel de Freitas
APRESENTAÇÃO: Dia 20 de Novembro de 2017 (2.ª feira), às 18h00, Auditório da Reitoria da Universidade da Madeira. Apresentação – Marcelino de Castro (Director da Revista Islenha)

18/11/2017
ANGOLA – O 4 de Fevereiro de 1961 em Luanda e Outras Memórias, da autoria de César Gomes
LANÇAMENTO: dia 18 de Novembro de 2017 (sábado), às 15h30, Auditório do Hotel Solverde, Granja (Espinho)

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99