Filosofia e Género

– Outras narrativas sobre a TRADIÇÃO ocidental




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Fernanda Henriques
Colecção: Forum de Ideias

Sinopse:

Logo no início do seu livro, Fernanda Henriques interroga-se – como pôde a dominação masculina ter sido tão completamente aceite? – para de imediato reformular a pergunta de outro modo – como pôde a dominação masculina parecer ter sido tão completamente aceite? (…). Com efeito, um dos contributos deste livro para o pensamento filosófico actual é reivindicar uma memória crítica para os Estudos Feministas (como faz, por exemplo, a classicista americana Page du Bois na sua releitura da antiguidade grega). (…) O objectivo último do livro (…) é justamente pensar a natureza humana no mundo independentemente do modelo masculino do pretenso universal neutro, que continua a pautar-se pelo homem vitruviano de Leonardo. O trabalho de releitura dos textos clássicos da filosofia ocidental, a que se entrega Fernanda Henriques neste livro (…) demonstra como metade da humanidade tem sido sistematicamente silenciada pela filosofia; ou, quando muito, representada de forma grosseiramente enviesada: mulheres vistas apenas, como as viu Aristóteles, como não-homens. [Prefácio – Maria Irene Ramalho] ¶¶ * * * ¶¶ A presente proposta de leitura é feita do interior de uma perspetiva feminista, ou seja, ela representa uma tomada de posição positiva em face de uma abordagem epistemológica das temáticas – quaisquer que sejam – do ponto de vista da busca de uma diferenciação e de um equilíbrio entre ser mulher e ser homem. Dito de outra maneira, não se considera aqui a hipótese de que haja um universal neutro para falar da humanidade, pelo contrário, o suposto é que essa pretensa neutralidade esconde, em primeiro lugar, a valorização da existência de mulheres e de homens e, em segundo lugar, é pensada a partir dos homens tomando-os como modelo e referência da humanidade. No entanto, Feminismo é um chapéu que cobre muitos feitios de cabeças, algumas delas rivais profundas. A literatura feminista fala hoje já de um pós-feminismo. Isto é, o que está em causa, atualmente, não é apenas defender-se um feminismo da igualdade ou um feminismo da diferença sexual, como há 30 ou 40 anos atrás. As polémicas hoje são muito mais complexas e, por exemplo, em relação à temática referida da igualdade ou da diferença, hoje discute-se, antes de tudo, a problemática da(s) identidade(s) e do seu sentido. [...]¶ [A Autora]

Índice:

Prefácio

Apresentação


PRIMEIRA PARTE PRINCÍPIOS HERMENÊUTICOS REGULADORES DA LEITURA PROPOSTA NESTE LIVRO

Capítulo 1: Porquê este livro?

Capítulo 2: Em busca de uma legitimidade filosófica ou a relação Filosofia/História da Filosofia

Capítulo 3: Construir uma memória histórica: uma necessidade para os Estudos Feministas

Capítulo 4: É possível narrar o passado filosófico de outra maneira?


SEGUNDA PARTE OUTRAS NARRATIVAS SOBRE A TRADIÇÃO OCIDENTAL

Introdução

Capítulo 1: Em busca de algumas raízes: Duas incursões interpretativas
1.1. A herança grega – as ambiguidades da cultura e da filosofia Gregas
1.2. A complexidade da concetualização das mulheres e do feminino na Idade Média: “teologização” da inferioridade feminina e da sua idealização

Capítulo 2: A Idade Moderna e a dimensão pública do debate pela cidadania no feminino
2.1. Exploração da herança cartesiana
2.2. A Revolução Francesa e a criação da Sociedade Moderna: inclusão e exclusão

Capítulo 3: As grandes mudanças paradigmáticas da segunda metade do século XX e a afirmação sistemática das mulheres no espaço público e no debate teórico como sujeitos de enunciação
3.1. A situação das mulheres-filósofas no mundo contemporâneo: questões e percursos
3.2. Em busca de uma epistemologia da racionalidade fecunda para os Estudos Feministas
3.3. Ganhar o espaço público: o sentido fundador da obra de Simone de Beauvoir, O Segundo Sexo
3.4. A dificuldade de questionar os cânones: Luce Irigaray e a fundação do ‘pensamento da diferença sexual’
3.5. As filósofas contemporâneas e o questionamento das perspetivas tradicionais sobre a ética

BIBLIOGRAFIA



A AUTORA

Fernanda Henriques é Professora Emérita da Universidade de Évora e Doutorada em Filosofia, na área da Filosofia Contemporânea. Foi membro do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida. Pertenceu à direção da Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres e foi cofundadora da Associação Portuguesa de Teologias Feministas. Tem publicado nas áreas da Filosofia Hermenêutica e dos Estudos sobre as Mulheres, no país e no estrangeiro. ¶ Últimas publicações: 2016 – Marginalidade e Alternativa: vinte e seis FILÓSOFAS para o século XXI, (Co-edição); Feminist Explorations of Paul Ricoeur’s Philosophy, (co-edição). 2015 – “Philosophie et literature chez Paul Ricoeur: une réponse aux limites de la rationalité”. Kant – un des «proches» de Paul Ricoeur – et le poids de son héritage dans la rationalité herméneutique ricoeurienne”. 2013 – Études Ricoeuriennes /Ricoeur Studies, v. 4, n.º 1. Revista Internacional eletrónica, (editora).

Detalhes:

Ano: 2016
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 258
Formato: 23x16
ISBN: 978-989-689-612-6
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
24/09/2017
O SISTEMA DE INFORMAÇÃO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, da autoria de Susana Rodrigues
LANÇAMENTO: Dia 24 de Setembro de 2017 (domingo), às 19h00, na Festa do Livro do Palácio de Belém, em Lisboa

23/09/2017
A MINHA VIDA DAVA UM ROMANCE, de José Salgueiro
LANÇAMENTO: dia 23 de setembro (sáb.), às 16H00, na Biblioteca Municipal de Montemor-o-Novo

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99