Nova Síntese, n.º 10 (2015)

Textos e contextos do neo-realismo, n.º 10 (2015)




Recomendar livro a um amigo
Directores: Vítor Viçoso

Sinopse:

O presente número da revista Nova Síntese é dedicado às relações do neorrealismo com as artes visuais. O tema impõe-se, desde logo, pela natureza específica de uma ligação profícua e complexa (contrariando assim algumas ideias comuns que proliferam ainda na história da arte do nosso país) e que motivou o empenho de muitos dos melhores artistas da terceira geração modernista portuguesa, com expressão desde meados dos anos 40 até ao final da década seguinte. Apesar de a produção de obras de arte inspiradas por alguns princípios estéticos e éticos identificados com o movimento neorrealista ter dominado sobretudo a arte moderna portuguesa no período do imediato pós-guerra, uma poética sensível aos temas sociais, com sentido mais ou menos crítico e reivindicativo, fez o seu caminho ao longo dos anos 50 até se associar, lentamente, a uma opção mais individual de observação e prática em torno de uma nova figuração inspirada já por outras coordenadas, como podemos ler na interpretação proposta por Fernando Rosa Dias, no primeiro e mais extenso ensaio desta edição. Diríamos que, durante pouco mais de quinze anos, o neorrealismo esteve presente no percurso, no imaginário e nos desenvolvimentos da arte portuguesa de um modo que merece não apenas ser reconhecido como reinterpretado, sob a ótica de novas linhas de investigação que contribuam finalmente para desfazer mitos e ideias pouco produtivas sobre a sua importância no panorama artístico do século XX português. Essa mesma ideia havia já presidido ao conjunto de ensaios sobre artes plásticas, fotografia e cinema que fora publicado pelo Museu do Neo-Realismo em 2007, aquando da apresentação do livro-catálogo da exposição permanente do museu vila-franquense, intitulada Batalha pelo Conteúdo – Movimento Neo-Realista Português. Passada uma década sobre esse primeiro balanço, julgámos ser oportuno lançar de novo o desafio a alguns investigadores portugueses para sobre esta matéria se pronunciarem ou promoverem a publicação de alguns contributos entretanto confirmados. ¶¶ Nessa medida, este número da Nova Síntese apresenta nove ensaios que investem noutras leituras sobre alguns aspetos artísticos centrados ou tangenciais ao neorrealismo e que, estamos certos, contribuirão de modo decisivo e influente para uma nova luz sobre o tema. (…)¶ [Da Apresentação, David Santos]

Índice:

1. Neo-Realismo e Artes Visuais
Apresentação David Santos

O Neo-realismo nas artes plásticas: encruzilhadas para uma caracterização Fernando Rosa Dias

Escultura neo-realista em Portugal: alguns apontamentos e a síntese possível Eduardo Duarte

Mário Dionísio e o(s) neo-realismo(s) Paula Ribeiro Lobo

Na casa da pintura José Luís Porfírio

Rogério Ribeiro e Melpómene: a tragédia como consciência e resistência Emília Ferreira

Luís Dourdil e os caminhos do (neo)realismo David Santos

Da representação social em arte ao empenhamento político-artístico: Imagens d’ O Diabo Luísa Duarte Santos

Da reprodução da obra à descoberta do fragmento: que “aura” se recupera de uma pintura fragmentada? Contributos para a (re)valorização de uma pintura neo-realista Paula Loura Batista

Portinari – Três Momentos Elza Ajzenberg Edusp – Editora da Universidade de São Paulo, 2012
Maria de Lourdes Riobom

2. Texto anexo
Manuel Filipe: o neo-realismo e a repressão Arsénio Mota

3. No centenário do nascimento de Garcez da Silva (2015)
Garcez da Silva e a poesia neo-realista Manuel G. Simões

Garcez da Silva, contista, viajante e cronista de arte
José Manuel de Vasconcelos

4. Textos apresentados em sessões organizadas
pela Associação Promotora do Museu do Neo-Realismo
Álvaro Guerra, às voltas com a história António Mega Ferreira

“O homem dos balões”: Arsénio Mota e a literatura para crianças e jovens Violante F. Magalhães

5. Relatório de Actividades da Associação Promotora
do Museu do Neo-Realismo em 2015
Relatório de Actividades da Associação Promotora do Museu do Neo-Realismo em 2015

Detalhes:

Ano: 2016
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 248
Formato: 23x16
ISBN: EAN: 977164659890910
ISSN: 1646-5989
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
07/10/2018
HISTÓRIAS DE VIDA NO PORTUGAL DO SÉCULO XX, da autoria de Grupo de Amigos de Montemor-o-Novo
LANÇAMENTO: dia 07 de Outubro (domingo), às 16h00, na Biblioteca do Convento de S. Domingos, em Montemor-o-Novo

29/09/2018
A GUERRA NA ANTIGA JUGOSLÁVIA VIVIDA NA PRIMEIRA PESSOA, Coord. de Carlos Branco, Henrique Santos, Luís Eduardo Saraiva
APRESENTAÇÃO: 28 de setembro (6.ª feira), às 16h00, no Quartel de Santo Ovídeo, no Porto. Apresentação: D. Manuel da Silva Rodrigues Linda (Bispo do Porto)

28/09/2018
OS MOINHOS E OS MOLEIROS DO RIO GUADIANA, da autoria de Luís Silva
APRESENTAÇÃO: Dia 28 de Setembro de 2018 (6.ª feira), 14h00-16h00, no Auditório 2, Torre B, 3º Piso, NOVA FCSH, em Lisboa. Apresentação: Pedro Prista (CRIA/ISCTE-IUL)

28/09/2018
DICIONÁRIO DE FILOSOFIA E ONTOLOGIA, da autoria de Francisco Limpo Queiroz
LANÇAMENTO: 28 de setembro (6.ª feira), às 21h30, na Biblioteca Municipal José Saramago, em Beja

27/09/2018
A GUERRA NA ANTIGA JUGOSLÁVIA VIVIDA NA PRIMEIRA PESSOA, Coord. de Carlos Branco, Henrique Santos, Luís Eduardo Saraiva
APRESENTAÇÃO:dia 27 de setembro de 2018 (quinta-feira), às 18h00, em Vila Real. Apresentação: Elísio Amaral Neves

27/09/2018
INVESTIGAÇÃO, EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO, da autoria de António Domingos, Elisabete Xavier Gomes, José Manuel Matos, Mariana Gaio Alves
LANÇAMENTO: Dia 27 de Setembro de 2018 (5.ª feira), às 18h00, na Biblioteca Municipal dos Coruchéus, em Lisboa. Apresentação: Nair Rios Azevedo; Comentário: António Nóvoa

26/09/2018
GRANDE GUERRA 1914-1918, da autoria de Ana Maria Paiva Morão
APRESENTAÇÃO: dia 26 de Setembro (4.ª feira), às 18h00, na Casa dos Burgos em Évora

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99