A Lisboa de Miguel de Cervantes

Tierra, Tierra! Aunque Mejor Diria: Cielo, Cielo!




Recomendar livro a um amigo

Sinopse:

Regressado do cativeiro em Argel, Miguel de Cervantes esteve uns meses em Lisboa. Tinha viajado pela Itália meridional, participado na Batalha de Lepanto, vivido em cativeiro no Norte de África e desembarcado em Barcelona no seu regresso à Península Ibérica, que depois veio a atravessar. Das costas mediterrânicas à costa atlântica, na cidade do Tejo. Na sua última obra, Los trabajos de Persiles y Sigismunda, historia setentrional, publicada um ano depois da sua morte, em 1616, conta dos mares, ilhas e gentes do Norte e das terras e gentes do Sul por onde peregrinam os seus protagonistas depois de desembarcar em Lisboa. ¶¶ Foi há 400 anos e este livrito pretende, modestamente, homenagear a obra e o autor. ¶¶ Um dos personagens do livro de Cervantes é Manuel de Sousa Coutinho – o futuro escritor português Frei Luís de Sousa que Camilo tanto admirou e Garrett consagrou no seu drama romântico. Movido pela «curiosidade a procurar na novela de Cervantes a prova da amizade íntima», «ou sequer a prova de se terem conhecido», ao tempo em que ambos estiveram cativos no norte de África, Camilo Castelo Branco traduziu e comentou o episódio do «enamorado português». Por isso, aqui se reproduz também parte desse texto de Camilo. ¶¶ Que o “leitor amantíssimo” de Cervantes disfrute, com muito gosto, de um livro enorme que o seu autor quis que fosse de entretenimento! Vale. ************************************************************ Enfim, vendo eu passado o limite dos dois anos, voltei a suplicar a seu pai ma desse por esposa. Ai de mim, que não é possível deter-me nestas circunstâncias, porque às portas da vida me está a chamar a morte e temo que não me vai dar já espaço para contar as minhas desventuras: que, se isso acontecesse, não as teria eu por tal! Finalmente, um dia avisaram-me que, num domingo próximo, me entregariam a minha desejada Leonor, notícia esta que pouco faltou para tirar-me a vida, tal foi o meu contentamento. Convidei os meus parentes, chamei os meus amigos, fiz trajes de gala, enviei presentes, com todos os requisitos que pudessem mostrar ser eu quem me casava e Leonor a que ia ser minha esposa.

Detalhes:

Ano: 2017
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 80
Formato: 23x16
ISBN: 978-989-689-721-5
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
16/12/2017
CONTOS PRÓDIGOS (e outros) VADIOS, da autoria de Conceição Oliveira
LANÇAMENTO: dia 16 (sábado) de dezembro de 2017, pelas 16h00, na Biblioteca Municipal de Aveiro

16/12/2017
EM NOME DO FILHO, da autoria de Manuel da Luz
LANÇAMENTO: Dia 16 de Dezembro de 2017 (sábado), às 15h15, no Museu de Portimão. Apresentação: Dr.ª Dália Paulo

16/12/2017
ANARQUISMO MODERNO, MAS NÃO PÓS-MODERNO, Org: António Cândido Franco, Carlos Abreu, João Freire, Manuela Parreira da Silva, Maria Alexandre Lousada
LANÇAMENTO: Dia 16 de Dezembro de 2017 (sáb.), às 15h00, no Museu do Aljube, em Lisboa. Apresentação: José Bragança de Miranda

16/12/2017
TEIXEIRA DE PASCOAES – Pensamento e Missão, com coordenação geral de Sofia A. Carvalho e coordenação científica de Annabela Rita, José Eduardo Franco
LANÇAMENTO: 16 de dezembro (sáb.), às 18h00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, em Amarante. Apresentação: Prof. Doutor António Feijó (Vice-Reitor da Universidade de Lisboa)

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99