Refugiados da Segunda Guerra Mundial nas Caldas da Rainha (1940-1946)




Recomendar livro a um amigo

Sinopse:

A Segunda Guerra Mundial (1939-1945) legou à Europa e ao mundo um cenário de devastação material e humana sem precedentes na contemporaneidade. Os avanços a Leste e a Oeste das tropas alemãs, conduziram a um afluxo de milhares de judeus e não-judeus nos territórios europeus. A fuga prosseguia à medida que os territórios onde se encontravam iam sendo sucessivamente invadidos e ocupados pelos nazis. Neste período, milhares de refugiados chegaram a Portugal e por aí transitaram para os territórios além-mar, sobretudo, para o continente americano. A sua presença não era, todavia, bem aceite pela maior parte dos governos europeus, pois estes viam nos refugiados um inconveniente político e uma ameaça socioeconómica. Portugal não foi exceção. Apesar do clima de hospitalidade, é importante desmistificar a ideia de que Portugal acolheu todos os «indesejáveis» que a Europa violentou e expulsou. O estudo que aqui se apresenta resulta de uma expressa vontade em recuperar a memória dos refugiados que encontraram nas Caldas da Rainha o seu porto de abrigo, entre os anos de 1940 a 1946. Num momento em que a crise dos refugiados enche as manchetes dos jornais e regressa impetuosamente às agendas europeias e mundiais, considerou-se fundamental fazer emergir das profundezas esse passado tão presente. As perseguições, a guerra e as dificuldades que experimentaram na sua fuga até conseguirem aportar com segurança nesta cidade portuguesa, bem como as vivências que aí foram desenvolvendo ao longo dos anos, compuseram os alicerces que edificam este trabalho. Procurou-se responder a uma série de perguntas – quem eram? de onde vinham? de que fugiam? como foram recebidos pela população caldense? – de forma a contribuir para a análise da sua presença e do impacto que esta causou na localidade. Uma coisa é certa: nas Caldas, o receio e a desconfiança da circunstância deram lugar ao ânimo e à esperança no futuro.

Índice:

Prefácio

Siglas e abreviaturas

Introdução

Capítulo 1 – (Re)pensar o fenómeno de refúgio: a assistência
aos refugiados no segundo quartel do século XX

1. A multiplicidade no apoio internacional aos refugiados
1.1. A Conferência de Evian (1938)
1.2. As organizações de auxílio internacional e o papel das entidades consulares: trabalho desenvolvido

2. O caso do Cônsul Aristides de Sousa Mendes (1885-1954):
uma figura prezada ou contestada?

Capítulo 2 – Portugal, rota de passagem e plataforma de esperança
2.1. O «paraíso» lisboeta em contraste com o cenário apocalítico
da Europa
2.2. As «residências fixas»

Capítulo 3 – Caldas da Rainha: de cidade termal a porto de abrigo
3.1. O abastecimento nas Caldas da Rainha (1942-1945)
3.2. Espaços habitacionais dos refugiados nas Caldas da Rainha
3.3. Os estrangeiros vistos pela imprensa periódica: o caso da Gazeta das Caldas

Capítulo 4 – «Isto é o meu país, eu considero as Caldas a minha terra»: algumas histórias de vida de «turistas acidentais»
4.1. Regime de rotação e estadia forçada
4.2. Estrangeiros na «residência fixa» das Caldas da Rainha: quem eram e de onde vinham?
4.3. Querelas entre refugiados e caldenses (1943)

Capítulo 5 – Refugiados e caldenses: hospitalidade e sociabilidade
5.1. O desporto como estratégia de convivência: o caso dos torneios de ténis

Conclusão

FOTOGRAFIAS

ANEXO – Lista da Relação dos Estrangeiros e Refugiados nas Caldas da Rainha (1930-1960)

Fontes e estudos
Fontes Manuscritas
Fontes Impressas
Fontes disponíveis online

Estudos



A AUTORA:

CAROLINA HENRIQUES PEREIRA nasceu em Leiria, em 1994. É licenciada em História e mestre em História Contemporânea pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Atualmente, é doutoranda de História Contemporânea na mesma faculdade. Colabora com frequência nos Cadernos de Estudos Leirienses e na Cábula Filatélica da SFAAC. É membro do Centro de História da Sociedade e da Cultura (CHSC/FLUC) e é Presidente da Secção Filatélica da Associação Académica de Coimbra (SFAAC).

Detalhes:

Ano: 2017
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 220
Formato: 23x16
ISBN: 978-989-689-702-4
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
30/06/2018
As Edições Colibri na 88.ª FEIRA DO LIVRO DE LISBOA
VISITE-NOS NO STAND A28 * Entre 25 de Maio e 13 de Junho de 2018, no Parque Eduardo VII (Metro: Marquês de Pombal e/ou São Sebastião), em Lisboa

14/06/2018
GENTE DE TRÁS-OS-MONTES, da autoria de João de Deus Rodrigues
LANÇAMENTO: dia 14 de Junho (5.ª feira), às 18h00, Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro, em Lisboa. Apresentação: General José Ribeirinha Diniz da Costa.

09/06/2018
MULHERES (DE) CORAGEM, da autoria de Maria do Céu Pires
LANÇAMENTO: dia 9 de Junho de 2018 (sábado), às 16h00. Centro de Ciência Viva em Estremoz. Apresentação: Dr.ª Maria de Fátima Crujo

01/06/2018
UM PROJECTO LIBERTÁRIO, da autoria de João Freire
LANÇAMENTO: dia 1 de Junho de 2018 (sexta), às 20h00. Feira do Livro de Lisboa. Apresentação: Miguel Serras Pereira, Paulo Guimarães e Fernando Medeiros

30/05/2018
MÚSICA CATÓLICA EM MACAU NO SÉCULO XX, da autoria de Dai Dingcheng
LANÇAMENTO: Dia 30 de Maio de 2018 (4.ª feira), às 18h30, no Centro Científico e Cultural de Macau, em Lisboa

29/05/2018
A GUERRA NA ANTIGA JUGOSLÁVIA VIVIDA NA PRIMEIRA PESSOA, Coord. de Carlos Branco, Henrique Santos, Luís Eduardo Saraiva
LANÇAMENTO: 29 de maio, às 17h30, no Instituto Universitário Militar, em Lisboa. Apresentação: Prof. Doutor Viriato Soromenho-Marques

25/05/2018
MEMÓRIAS DE UMA FALSIFICADORA – A Luta na Clandestinidade pela Liberdade de Portugal, de Margarida Tengarrinha
APRESENTAÇÃO: Dia 25 de Maio de 2018 (6.ª feira), às 18h00, na Universidade Popular do Porto. Apresentação: Doutor Manuel Loff e Doutor Silvestre Lacerda

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99