O Que Falta

Poesia




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Adolfo Maria
Temas: Poesia

Sinopse:

(...) Sucedeu que, nessa luta contra a opressão das pessoas e dos povos (duros combates físicos e psíquicos!), a minha sensibilidade captava os sofrimentos e esperanças, a mente não deixava de questionar a realidade que fui encontrando e vivendo. Por vezes registei em prosa e mais raramente em verso o que sentia e pensava. ¶ Agora, cheguei a uma fase da vida onde o espaço da acção está naturalmente suplantado pelo da meditação, o que propicia momentos de escrita sob a forma de poemas, numa vontade de falar a quem procura sentir o mundo (falar de... exílio, amor, saudade...). Para mim é O QUE FALTA. ¶¶ [in texto introdutório deste livro] ********************************************************* A INSUPERÁVEL DISTÂNCIA // No cálido trópico / da pátria que me pariu / se refugia a alma / deste vagabundo corpo / que frios europeus /agora fustigam / em derradeiro exílio // No compasso da dança / do espaço/vivência / estar/ser / eu desenho e teço / passos de coerência / a preencher / as muitas ausências // E permanece a evidência: / insuperável é a distância / entre exílio e pátria.

Índice:

PERMITAM-ME
I – DO EXÍLIO
 a insuperável distância
 quantos mares
 p’ra qui estamos
 à Pátria
 mudam-se os tempos
 o meu mar
 a cidade que me dói
 o plúmbeo cacimbo
 mambos meus
 lonjuras


II – DO AMOR
 Capricórnio
 dádiva adiada
 mundos
 tricotado na vida
 o arroubo
 começo e fim
 o que falta
 a vida em leis
 metafísicas
 sigla minha
 negra deusa
 o denso minério
 o muxito e a azinheira
 o absoluto e o relativo
 acertar o tempo
 hosana


III – DA SAUDADE
 nesse novembro
 15 dias depois
 o teu sorriso
 o impiedoso caminho
 que saudade
 comigo andas
 melancolias
 ao encontro
 nevoenta tarde
 nos compartimentos da alma
 dores de agora
 o dia de hoje
 nuvens


IV – DA MULHER
 para lá de tudo
 hino
 mulher: modos de falar de ti
 Kianda em chuva de cajú
 a mulher de sempre


V – DA MEDITAÇÃO
 tempo e estação
 pinta o quadro
 procura
 folha caída
 ontologia
 ausências
 universos íntimos
 modos de caber no mundo
 espaço vital
 o cacto e o poeta
 a linha do horizonte
 o fim do dongo
 o charco
 as fases
 só o eco da utopia
 a África resgatada
 conversa kalu
 a palanca
 a totalitária razão
 arca perdida
 peregrinação
 tudo depende
 escorrem emoções
 imanência
 cem anos, Mandela
 nos silêncios


VI – DA FINITUDE
 nesta hora
 sobressaltos
 O fatal alheamento (dito de três maneiras)
 viagem
 o que resta?
 a gruta
 árvores e humanos
 alma em múcua
 o dilema
 a extinção


VOCÁBULOS ANGOLANOS





AUTOR:

ADOLFO MARIA entregou-se desde a sua juventude à luta nacionalista para a independência do seu país. Participou no combate cultural (Sociedade Cultural de Angola, jornal Cultura e Cine Clube de Luanda), nos anos 1950; no combate político (no PCA e no MLNA), o que lhe valeu a prisão pela polícia política portuguesa, a PIDE, em 1959; e no combate armado (nas fileiras do MPLA) nos anos 60 e 70 do passado século.
Dentro da luta nacionalista, participou no combate pela democracia no seio do MPLA, em 1974, como membro da tendência Revolta Activa, o que originou um mandado de captura contra vários elementos dessa tendência, em Abril de 1976, cinco meses após a independência de Angola. Adolfo Maria escapou à rusga da polícia do regime, a DISA, e manteve-se escondido durante quase três anos, cessando a sua clandestinidade após o anúncio de amnistia pelo presidente da república; esteve ainda preso pela polícia política e, depois, foi expulso do país em 1979. Esse período que o autor viveu é descrito no seu livro “Angola, Sonho e Pesadelo” e a dramática vivência dessa clandestinidade é-nos transmitida na sua obra “Angola no Tempo da Ditadura Democrática Revolucionária – Poética do Auto-Cárcere”.
No exílio, Adolfo Maria tem participado em colóquios, conferências, entrevistas e colaborado em publicações angolanas; é membro do painel do programa "Debate Africano" da RDP África. Além dos livros acima citados, publicou “Angola – Contributos à Reflexão” e os romances “Naquele Dia Naquele Cazenga” e “Na Terra dos TTR”. Todas estas obras foram editadas por "Edições Colibri", em Lisboa.

Detalhes:

Ano: 2018
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 130
Formato: 23x16
ISBN: 978-989-689-759-8
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
20/01/2019
(IN)JUSTIÇA GLOBAL, da autoria de Cristóvão Pereira e Maria da Glória Fraga
LANÇAMENTO: Dia 20 de Janeiro de 2018 (Domingo), às 16h00, no Hotel Júpiter, em Lisboa. Apresentação: Prof.ª Doutora Maria Teresa Lopes Pereira e Dr. Saraiva Matias

19/01/2019
POESIA {DAS CIRCUNSTÂNCIAS} DO TEMPO, da autoria de Luís Pais Amante
LANÇAMENTO: Dia 19 de Janeiro de 2019 (sáb.) às 15h00, Auditório do Centro Cultural de Penacova. Apresentação – Dr.ª Maria Fernanda Alexandre

19/01/2019
MULHERES (DE) CORAGEM, da autoria de Maria do Céu Pires
APRESENTAÇÃO: dia 19 de Janeiro de 2019 (sábado), às 16h00, na Biblioteca Municipal de Portalegre. Apresentação: Dr. António Martinó

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99