Poesia {das Circunstâncias} do Tempo




Recomendar livro a um amigo
Autoria: Luís Pais Amante
Temas: Poesia

Sinopse:

A abóbada grandiosa está lá, esbelta / Na Igreja de Santa Isabel, em Lisboa / Os restauros correm lentos, com perícia a traço fino / Mas o céu / Dando corpo ao projectado / Já aparece luminoso / Completo / Raiado / Transparente de contente / Quando se olha pr’a cima / Em busca de sol com rima / Vê-se um muito céu aberto, seguro a descoberto / E dá para imaginar / Quão seguros vão aos pares / Os casais que ali respiram serenidade / E os grupos de crianças / Que crescem por baixo do que aparece / Todos ungidos na fé / Abstraindo a pintura / Observo com candura / O que está pr’além de lá / E dou comigo a pensar / Como outros a rezar / Vêem outro céu no céu / Onde podemos ficar, sonhando que esteja perto [Luís Pais Amante | Telheiras Residence | 13 Maio 18; 16h30.]

Índice:

Nota do Autor

Prefácio – O Tempo na Poesia de Luís Amante: Vida
Contemplativa, Instante Poético e (des)Causalidade

I – Tempo Contemplativo
1. Sala de leitura
2. As Marquesas
3. Andar sentada
4. Aqui sim, há amizade já, pá!
5. A “vernissage” da Pim(tora)
6. Caminhar sobre o Mar
7. Água tempo
8. Pontes de amizade...e carinho
9. Dia tempo
10. O tempo da revolta
11. O ritmo (biológico) do tempo
12. 13 (treze) momento
13. O Caminho
14. O tempo da justiça

II – Tempo Reflexivo
15. Seguimentos do tempo
16. O tempo... do meu tempo
17. Temporizar o tempo
18. A complexidade do tempo
19. Tempo, tic, tac
20. A capacitação do tempo
21. Tempo partido
22. Tempo suspenso
23. Tempo de despedida (temporária)
24. Os anos passam...
25. O meu Luís... do tempo
26. Que tempo é este, afinal?
27. Eu e o meu (não) Eu
28. O tempo sem sol

III – Des-Tempo
29. Sem-abrigo cem
30. Tempos de simplicidade
31. Calcutá
32. Passeio em estado líquido
33. Quatro beijos e um sorriso
34. E a janela partiu-se
35. Tempo ainda é dinheiro?
36. Mulher de Ipanema
37. Lisboa, agora
38. Tempo perigoso
39. O dia dos nã...morados
40. 13 Tempo
41. Tempo de cravos com margaridas
42. Escravidão, hoje

IV – Tempo dos Amores
43. Tempo(ral)
44. Esse tempo não existiu
45. Tempo de amor
46. Gueixa
47. Ilusão
48. O tempo do contratempo
49. Seca interrupção
50. Quadro
51. Poesia
52. Tempo sem tempo

V – Penacova no Tempo
53. Ter vontade
54. Hoje o sol é meu
55. Face a face comigo próprio, poeta de Penacova .... 102
56. Penacova Povo
57. Águas calmas, brisa lenta
58. O Natal do silêncio

VI – Tempo Futuro (intenção)
59. Projeto de vida
60. A minha Maria Mulher
61. Estado de mom
62. Perdida no tempo
63. A trilogia do (nosso) tempo
64. Madalena
65. É hora de olhar o céu


O AUTOR:

LUÍS MANUEL PAIS AMANTE
Nasceu em Penacova no dia 15 de Janeiro de 1954 e reside em Lisboa desde 1973. É Advogado, Gestor e Consultor e, também, entre outros, diplomado pelo MCE (Brugues); no ano 2000, a sua actividade como Presidente do Grupo Place e como Consultor Internacional, mereceu referência destacada no “International Who’s Who of Professionals”.
No que à actividade literária diz respeito, o seu primeiro poema publicado foi “Tempo de Paz”, em Fevereiro de 1973, sobre o fim da Guerra do Vietname; no ano de 2012, sua mulher Ana, publica, em edição de autor, Poemas a Recordar.
Os livros já editados pela Colibri – e pelo seu Editor Fernando Mão de Ferro – são Conexões (2016) e Reflexos (2017).
O seu poema Confissão foi musicado pelo jovem Maestro Pedro Rodrigues e faz parte do repertório do Coral Divo Canto.
É o actual Mordomo-Mor da Confraria da Lampreia e Presidente da Associação das Confrarias da Rota de Cister.
Tem dois filhos, a Carolina e o Filipe; e dois netos, a Madalena e o André.

Detalhes:

Ano: 2018
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 120
Formato: 23x16
ISBN: 978-989-689-813-7
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
31/12/2020
POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTECÇÃO DE DADOS (RGPD)
RGPD: Como é do conhecimento público, o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados é aplicável desde 25 de maio 2018 em todos os Estados-Membros da União Europeia. Navegar no nosso site implica concordar com a nossa política de privacidade (ver AQUI: https://drive.google.com/file/d/1DiXJS-AUwZBB7diQJS5xWrFBDLedWG9c/view). Se não concordar, pode contactar-nos pelos canais alternativos: e-mail ou telefone.

04/04/2020
VIAGENS E COMENTÁRIOS DE UM TEMPO SEM TEMPO, da autoria de Otilina Silva
LANÇAMENTO: dia 4 de Abril (sáb.), às 16h00, na Casa do Concelho de Alvaiázere, em Lisboa. Apresentação: Luísa Nogueira

19/03/2020
JARDINS IMAGINÁRIOS, da autoria de Francisco Martins da Silva
LANÇAMENTO: dia 19 de Março de 2020 (5.ª feira), às 18h30, na Galeria SPGL, em Lisboa

08/03/2020
KOSOVO – A Incoerência de uma Independência Inédita, da autoria de Raul Cunha
APRESENTAÇÃO: dia 8 de Março (Sábado) às 15h00, na Delegação do Clube do Sargento da Armada – Feijó. Apresentação: Major-General Carlos Branco

06/03/2020
ANTÓNIO, EM PORTALEGRE CIDADE – Romance, da autoria de Carlos Ceia
LANÇAMENTO: dia 6 de Março (6.ª feira) das 18h00-19h30, Campus de Campolide, em Lisboa. Apresentação: Profª Doutora Ana Maria Martinho

05/03/2020
A NOITE MAIS LONGA DE TODAS AS NOITES, de Helena Pato
APRESENTAÇÃO (3.ª ed): dia 5 de Março (5.ª feira) das 18h00, na Associação 25 de Abril, em Lisboa. Apresentação: Prof.ª Doutora Luísa Tiago de Oliveira

29/02/2020
MUNDO(S) – Livros 7 – Coletânea de Poesia Lusófona
LANÇAMENTO: 29 de Fevereiro (sáb.), às 16h00, na Sociedade Nacional de Belas Artes, em Lisboa. Apresentação dos autores e da obra por Ângelo Rodrigues

27/02/2020
SANTOS, HERÓIS E MONSTROS, da autoria de Carla Varela Fernandes
APRESENTAÇÃO: 27 de Fevereiro (5.ª feira), às 18h00, na Livraria Ferin, em Lisboa

22/02/2020
SANTOS, HERÓIS E MONSTROS, da autoria de Carla Varela Fernandes
LANÇAMENTO: 22 Fevereiro (sábado), às 16h00, Mosteiro se Santa Maria de Celas, em Coimbra. Apresentação: Ana Alcoforado

21/02/2020
ESTORIETAS VADIAS, da autoria de Eurico Figueiredo
LANÇAMENTO: dia 21 de Fevereiro (6.ª feira) às 18h30, na FNAC NorteShopping, Senhora da Hora (Porto). Apresentação: Luísa Feijó (tradutora) e Alexandre Alves da Costa (arquitecto)

20/02/2020
O ALENTEJO E A LUTA CLANDESTINA – António Gervásio um Militante Comunista, da autoria de Luís Godinho
LANÇAMENTO: dia 20 de fevereiro (5.ª feira), às 18h00, no Museu do Aljube, em Lisboa. Apresentação: Margarida Machado e Teresa Fonseca

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99