O Planalto do Bié

Diários de Viagem (1848-57)




Recomendar livro a um amigo
Autoria: László Magyar
Organização: István Rákóczi

Sinopse:

Esta não é uma obra de um explorador ou de um viajante, mas sim a de um colono que optou por viver e morrer numa peculiar forma de autoexílio. Nas suas linhas ignora-se a tensão e a pressa tão características dos viajantes. O autor confessa não ter tido à sua disposição nenhum livro que pudesse tê-lo ajudado no seu trabalho. Daí precisamente a sua originalidade e, mais que isso, a sua credibilidade também. (…) Posso assegurar que estas descrições, tão simples quanto acessíveis, fazem com que os seus leitores se familiarizem melhor com o Continente Negro do que por meio de qualquer rebuscada obra científica.” [Richard Burton, 1886] ********************************************************* “O meu decidido objectivo é explorar a África Austral, o que só vejo e espero poder levar a bom porto, conhecendo perfeitamente a língua e os costumes dos nativos. Para tal empresa nem podia ter encontrado tão excelente ocasião como entre os bienos, exímia gente dada ao comércio.” Esta frase do explorador húngaro László Magyar é uma arte poética, hoje diríamos, dum antropólogo cultural. Reside precisamente nesta faceta, nas circunstâncias que assume a seu favor o viajante, a sua grandeza enquanto “explorador geográfico em construção”. Casado com Ozoro, a filha dum soba, foram assim abertas novas sendas para um melhor conhecimento do interior do Continente Negro. ********************************************************* Este pequeno livro ergue um monumento à memória do explorador húngaro László Magyar, nascido há duzentos anos em Szombathely, na Hungria, e falecido com o nome de “Enganna Como” em 1864 no Porto Cuíto de Angola. Publicam-se assim, pela primeira vez e reunidos em língua portuguesa, os seus diários de viagem, publicados e dispersos em húngaro, e que, agora traduzidos, pretendem contribuir para um melhor conhecimento internacional do solitário explorador húngaro, um dos não colonialistas em vésperas da Partilha de África.

Índice:

Carta ao leitor

Prefácio

Introdução, à guisa de prefácio


O PLANALTO DO BIÉ

Diários de Viagem de László Magyar (1848-57)
Breve sumário da minha vida

A minha incursão no rio africano do Congo ou Zaire até às cataratas do Fáro-Songo 1848 Ambriz, Ponta de Padrão, Ponta da Lenha,Boma, Upá an Fáro-songo

Breve excerto da minha viagem no interior da África Austral
(Benguela-Bié-Lunda) 1851

Excerto da minha viagem realizada no interior da África Austral
(Camba, Cuanhama) 1852

Breve informação acerca dos países Moluva ou Moropuu e dos Estados Lobal pelo membro correspondente László Magyar


Esboço geográfico geral das províncias Munda-Evambo, Lungo
e Kapota, situadas na África Austral realizado por László Magyar,
membro correspondente (da Academia de Ciências da Hungria)

Sucinto esboço sobre as províncias de entre os rios Kunéne e Kubángo

Carta ao Governador de Benguela sobre o interior da África Austral

Bibliografia selecta

Detalhes:

Ano: 2019
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 168
Formato: 23x16
ISBN: 9789896898786
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
20/07/2019
SANTA ISABEL DE PORTUGAL, da autoria de Aires A. Nascimento
LANÇAMENTO/Homenagem: dia 20 de Julho de 2019 (Sábado), às 12h00, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99