A Comunicação nos Arquivos Municipais

Área Metropolitana de Lisboa




Recomendar livro a um amigo
Colaboração com a entidade: Universidade de Lisboa

Sinopse:

Diz-se da comunicação que é informação em potência, uma vez que não há comunicação sem informação. Daqui resulta a relação intrínseca entre os dois conceitos, pelo processo comunicacional, tratado no contexto dos Arquivos Municipais, que mantêm, como sempre mantiveram, a sua dimensão custodial, quer em contexto analógico, quer em contexto eletrónico e digital. As tecnologias ampliaram este processo, permitindo a comunicação distante. Do excelente estudo, destacamos as seguintes conclusões: o papel-chave da comunicação no cumprimento da missão do arquivo; a facilitação do alargamento do campo dos profissionais dos arquivos na potenciação da comunicação através das tecnologias; a comunicação como promotora da informação enquanto ativo estratégico organizacional; o guia enquanto instrumento de acesso à informação menos presente nos arquivos, contrariamente ao que seria natural; a permanência dos arquivos municipais ainda distante das ferramentas da web 2.0; o nível de excelência da Comunicação da informação arquivística alcançado pelos arquivos de Cascais e Lisboa. Ingredientes suficientes para que esta obra possa acolher o interesse de todos os técnicos que trabalham nos arquivos municipais, ainda que o seu interesse não se esgote neste universo, e posicionar este estudo, de referência, no âmbito da ciência da informação, justificando, por si só, a sua integração nesta coleção. ¶ [Carlos Guardado da Silva] ********************************************************** A comunicação da informação é reveladora da transparência ativa(ou não!) das instituições, sendo usada como instrumento de accountability, responsabilização e prestação de contas, e de promoção do acesso à informação, quando o foco é, como deve ser, o cidadão-utiliza-dor. Nesta medida, a comunicação é também fator estratégico do desenvolvimento e, consequentemente, da melhoria da qualidade de vida dos cidadãos (Freitas, Sousa, 2009). Assim a comunicação é contemplada pelos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 das Nações Unidas, uma vez que o acesso à informação é considerado fator de redução das distintas vulnerabilidades e potenciador da realização plena da cidadania. ¶ A comunicação é também a forma de incrementar, quer a visibilidade dos arquivos, verdadeiros centros de gestão de informação, quer o acesso à informação.

Índice:

Resumo

Agradecimentos

Prefácio

Introdução

1. A comunicação da informação arquivística: Revisão da literatura
1. 1 Principais conceitos e teorias
1. 2 Os Arquivos e as tecnologias de informação
1. 3 Informação e memória: Confrontando ideias
1. 4 Os Arquivos na Web: Novos desafios
1. 5 Blogues e redes sociais: Comunicar e partilhar informação
1. 6 Exposições, serviços educativos e marketing: Modernizando os canais de comunicação dos arquivos

2. Metodologia de investigação
2. 1 Definição da problemática
2. 2 Métodos de recolha de dados
2. 2. 1 Inquérito por questionário
2. 2. 2 Observação direta não participativa
2. 3 Análise dos dados recolhidos

3. Os Arquivos Municipais da Área Metropolitana de Lisboa
3. 1 Arquivo Municipal de Alcochete
3. 2 Arquivo Municipal de Almada
3. 3 Arquivo Municipal da Amadora
3. 4 Arquivo Municipal do Barreiro
3. 5 Arquivo Municipal de Cascais
3. 6 Arquivo Municipal de Lisboa
3. 7 Arquivo Municipal de Loures
3. 8 Arquivo Municipal de Mafra
3. 9 Arquivo Municipal da Moita
3. 10 Arquivo Municipal do Montijo
3. 11 Arquivo Municipal de Odivelas
3. 12 Arquivo Municipal de Oeiras
3. 13 Arquivo Municipal de Palmela
3. 14 Arquivo Municipal do Seixal
3. 15 Arquivo Municipal de Sesimbra
3. 16 Arquivo Municipal de Setúbal
3. 17 Arquivo Municipal de Sintra
3. 18 Arquivo Municipal de Vila Franca de Xira

4. Análise quantitativa das respostas ao questionário e discussão de dados
4. 1 Regulamentação e organização
4. 2 Recursos humanos
4. 3 Instalações e acervo
4. 4 Acesso à documentação
4. 5 Atividades de caráter pedagógico, cultural, científico ou social
4. 6 Presença na Internet
4. 7 Obstáculos e desafios

Conclusão

Referências bibliográficas

Webgrafia

Apêndices




AUTORA

GISELA GARCIA GABRIEL – Licenciada em História (1997) e Mestre em Ciências da Documentação e Informação (2017), pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Autora do estudo "A Comunicação nos Arquivos Municipais da Área Metropolitana de Lisboa", Páginas a&b. S.3, n.º especial (2019) 27-38, disponível em https://doi.org/10.21747/21836671/pagespa3. A partir de 2004, enquanto técnica superior, assume funções de coordenação, integrando diversas equipas de trabalho no âmbito de projetos de modernização administrativa da Administração Pública Central. Desde 2018 exerce funções na área de Sistemas e Tecnologias de Informação, na Câmara Municipal de Cascais.

Detalhes:

Ano: 2019
Capa: capa mole
Tipo: Livro
N. páginas: 172
Formato: 23x16
ISBN: 9789896898908
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
15/12/2019
ALCUNHAS DE MARVÃO, de Teresa Simão
LANÇAMENTO: dia 15 de Dezembro (dom.) às 15h00, em Santo António das Areias – Marvão. Apresentação: Prof. Doutor Jorge Oliveira

10/12/2019
UM RANGER NA GUERRA COLONIAL – Guiné-Bissau (1973-74), da autoria de José Saúde
LANÇAMENTO: dia 10 de Dezembro (3.ª feira), às 21h30, em Beja

07/12/2019
LINHAS DE ÁGUA, da autoria de Maria do Céu Pires
LANÇAMENTO: dia 7 de Dezembro (sáb.) às 16h00, em Estremoz. Apresentação: Carlos Nuno (ESCS / Instituto Politécnico de Lisboa)

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99