General José Vicente de Freitas

A Liberdade de Pensar




Recomendar livro a um amigo

Sinopse:

O presente livro, General José Vicente de Freitas – A liberdade de pensar, atesta uma vez mais a profunda preocupação educativa que vem substanciando o seu percurso, e pretende fazer justiça, em ensaio biográfico, a este personagem esquecido da História de Portugal (nascido na Calheta, na ilha da Madeira, em 1869, e falecido em Lisboa, em 1952), e que foi militar graduado de altas patentes, político (Ministro do Interior, Presidente do Ministério, Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa), professor (Escola Nacional de Lisboa e Colégio Militar), autor de livros didácticos e cartógrafo de grande mérito. Revelado politicamente com o movimento saído do 28 de Maio de 1926, José Vicente de Freitas defendeu, contudo, face à proposta constitucional de António de Oliveira Salazar, Quirino de Jesus, Marcelo Caetano e outros, uma proposta alternativa (publicada n’O século, a 12 de Fevereiro de 1933) e que apontava para um ordenamento constitucional que ‘encerrasse’ o movimento militar e que defendesse a República e a democracia, condenando vivamente o regime de partido único que se preparava, atacando desta forma a União Nacional. Salazar, que nunca perdoava, destituiu-o da Comissão Administrativa da CML, “fulminante punição”, como bem viu Bernardino Machado, antigo Presidente da Iª República.

Índice:

Índice Geral

Dedicatória
Agradecimentos
Índice
Nota do Autor

I Parte - José Vicente de Freitas, o homem, o tempo e a terra

1. Um breve perfil
2. Contexto económico, social e político, nos finais do século XIX
2.1. A Vila da Calheta
2.2. Madeira
2.3. Portugal
3. Raízes familiares e descendência
3.1. O nascimento de José Vicente de Freitas
3.2. A família Freitas
3.2.1. Origens familiares
3.2.1.1. A origem da Família Freitas – Uma análise genealógica
3.2.1.2. Referências à Família Freitas nas Ilhas de Zargo
3.2.1.3. Referências à Família Freitas em As origens dos apelidos das famílias portuguesas
3.2.1.4. Referências à Família Freitas (do Vale da Bica) em Registo Genealógico das Famílias que Passaram pela Madeira
3.2.1.5. Referências à Família Freitas no Armorial Lusitano, Genealogia e Heráldica
3.2.1.6. Brasão da Família Freitas
3.2.1.7. Brasão da Família Freitas (do Vale da Bica)
3.3. Genealogia
3.3.1. Árvore de costados de José Vicente de Freitas
3.4. Casamento de José Vicente de Freitas
3.5. Da escola primária da Calheta ao Liceu do Funchal
3.6. A casa do Vale da Bica e a capela de São José
3.7. Bens de vínculo da Família Freitas
3.8. Irmãos de José Vicente de Freitas
3.8.1. Registo genealógico de José Vicente de Freitas, a partir de seu pai, José Joaquim de Freitas
3.8.2. Capitão Jorge Joaquim de Freitas (1870-1941)
3.8.3. Dr. Manuel dos Passos Freitas (1872-1952)
3.8.4. Capitão Francisco João de Freitas (1874–1958)
3.8.5. Coronel Dr. João Nepomuceno de Freitas (1877-1953)
3.8.6. Coronel José Maria de Freitas (1879–1958)
3.8.7. Júlio de Freitas (1881-1882)
3.8.8. Maria José de Freitas Fernandes (1885-1952)
3.9. Toponímia
3.10. Falecimento de José Vicente de Freitas (04/09/1952)

II Parte - José Vicente de Freitas, o militar

1. O colégio militar e a progressão na carreira militar
1.1. Colégio Militar
1.2. Origem da Academia Militar
1.2.1. Colégio Real dos Nobres
1.2.2. Collegio da Feitoria ou Collegio Regimental da Artilharia da Corte
1.2.3. Academia Real de Fortificação, Artilharia e Desenho
1.2.4. Passagem de Academia Real de Fortificação, Artilharia e Desenho para Escola do Exército
1.2.5. Escola Politécnica
1.2.6. Escola do Exército (continuação até se denominar de Academia Militar)
1.3. Progressão de José Vicente de Freitas na carreira militar
1.4. Registo fotográfico da carreira militar de José Vicente de Freitas
1.5. Medalhas, condecorações e louvores
2. A participação de Portugal na primeira Guerra Mundial e a criação do Corpo Expedicionário Português (CEP)
2.1. Dados gerais sobre o CEP
2.2. Participação de José Vicente de Freitas no CEP

III Parte - José Vicente de Freitas, o político

1. Intervenção político-militar de José Vicente de Freitas
1.1. Referência ao capitão José Vicente de Freitas nos acontecimentos de 5 de Outubro de 1910.
1.2. Actividade política de José Vicente de Freitas, anterior ao movimento de 28 de Maio de 1926
2. O 28 de Maio de 1926 e o ‘Estado Novo’ – contextos e desenvolvimentos
2.1. Envolvimento de José Vicente de Freitas após o Movimento do 28 de Maio de 1926
2.2. Partidos políticos da I e da II República
2.3. A Liga Nacional 28 de Maio, a Confederação Académica e a União Nacional
2.4. Conselho Político Nacional
2.5. A entrada de Oliveira Salazar no Governo
2.6. José Vicente de Freitas nomeado Ministro do Interior (26/08/1927 a 18/04/1928)
2.7. José Vicente de Freitas nomeado Presidente do Ministério (18/04/1928-10/11/1928)
2.8. A entrada de António de Oliveira Salazar no Governo de José Vicente de Freitas
2.9. Remodelação de Governo de José Vicente de Freitas (10/11/1928–08/07/1929)
2.10. Principais medidas de governo tomadas por José Vicente de Freitas, enquanto Ministro do Interior e como Presidente do Ministério
2.11. A Portaria dos Sinos e a demissão do Governo de José Vicente de Freitas
2.12. O 52.º Governo da República Portuguesa, presidido por Ivens Ferraz
2.13. Intervenção política subsequente de José Vicente de Freitas
2.14. Exposição ao Presidente da República, general Óscar Carmona, sobre o projecto de revisão constitucional
2.15. Cargos políticos desempenhados pelo General José Vicente de Freitas
2.16. A última entrevista

IV Parte - José Vicente de Freitas na Câmara Municipal de Lisboa

1. Nomeação para Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa
1.1. Principais iniciativas tomadas na Câmara Municipal de Lisboa
1.2. Regresso à Câmara Municipal de Lisboa
1.3. Incidente na Câmara Municipal de Lisboa
1.4. Exoneração de José Vicente de Freitas da Presidência da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa

V Parte - José Vicente de Freitas, o professor e o cartógrafo

1. O professor e o cartógrafo
1.1. Escola Nacional de Lisboa
1.2. Compêndios escolares da autoria de José Vicente de Freitas
1.2.1. Desenho
1.2.2. Geometria
1.2.3. Desenho e Caligrafia
1.2.4. Livro de Leitura
1.2.5. Modelação, Desenho e Caligrafia
1.3. Plantas de Lisboa

VI Parte - Cronologia, bibliografia e índices

1. Cronologia
2. Bibliografia
3. Índices
3.1. Siglas
3.2. Jornais e revistas consultadas
3.3. Índice de Fontes
3.4. Índice de ilustrações
3.5. Índice de tabelas
3.6. Índice Geral

VII Parte - Anexos

1. Anexos
1.1 - Legislação assinada por José Vicente de Freitas
3.7. Bens de vínculo


O AUTOR:
Francisco José Vieira Fernandes nasceu no Funchal, em 1952. Licenciou-se em Finanças (ISE/UTL), fez um Mestrado em Gestão do Desporto e um Doutoramento em Ciências do Desporto (ambos na FMH/UTL). Para além da investigação e edição de trabalhos nestas áreas da sua formação (Madeira: Desporto em Autonomia, de 1998, e Desporto e Autonomia Insular – factores de desenvolvimento económico e social, de 2009), dedicou-se especialmente à escrita literária, em géneros como a narrativa (com vários livros publicados na área da literatura infanto-juvenil), o teatro, mas também a crónica, géneros em que vem expressando uma demorada reflexão sobre a sociedade e o ideal educativo que a deve animar.

Detalhes:

Ano: 2010
Capa: capa dura
Tipo: Livro
N. páginas: 414
Formato: 24x16,5
ISBN: 978-989-689-049-0
Comentários de utilizadores

Não existem Comentários


Adicionar Comentário
carrinho de compras
notícias
18/11/2017
ANGOLA – O 4 de Fevereiro de 1961 em Luanda e Outras Memórias, da autoria de César Gomes
LANÇAMENTO: dia 18 de Novembro de 2017 (sábado), às 15h30, Auditório do Hotel Solverde, Granja (Espinho)

11/11/2017
PSICANÁLISE. SUJEITO E OBJECTO NA CURA ANALÍTICA, da autoria de Orlando Fialho
LANÇAMENTO: Dia 11 de Novembro de 2017 (Sábado), às 18h15, Hotel Holiday Inn Continental, Lisboa. Apresentação: Dr.ª Manuela Harthley

01/11/2017
A ORGANIZAÇÃO ARQUIVÍSTICA – O Fundo "Administração do Concelho de Torres Vedras", de Suzete Lemos Marques
LANÇAMENTO: dia 1 de novembro (4.ª feira), às 16h00, em Torres Vedras. Apresentação: Prof. Doutor Carlos Guardado da Silva

25/10/2017
DIPLOMACIA PENINSULAR E OPERAÇÕES SECRETAS NA GUERRA COLONIAL, da autoria de María José Tíscar
APRESENTAÇÃO: Dia 25 de Outubro de 2017 (4.ª feira), às 18h30 no Instituto Cervantes, em Lisboa. Apresentação de José Manuel Duarte de Jesus (Embaixador Jubilado)

24/10/2017
A PIDE NO XADREZ AFRICANO – Angola | Zaire | Guiné | Moçambique, da autoria de María José Tíscar
LANÇAMENTO: Dia 24 de Outubro de 2017 (3.ª feira), às 18h00, na Comissão Portuguesa de História Militar, em lisboa

21/10/2017
VINTE MIL LÉGUAS DE PALAVRAS, da autoria de Luís Cunha
LANÇAMENTO: Dia 21 de Outubro de 2017 (sábado), às 16h00, na Biblioteca Municipal Manuel da Fonseca, em Santiago do Cacém

20/10/2017
ELITES E EDUCAÇÃO. Évora e o Liceu. As Escolas e os Estudantes – Da Monarquia Constitucional ao Estado Novo, de Fernando Luís Gameiro
LANÇAMENTO: Dia 20 de Outubro de 2017 (6.ª feira), às 17h30, na Pousada Convento dos Lóios, em Évora

19/10/2017
JOÃO INOCÊNCIO CAMACHO DE FREITAS, da autoria de João Abel de Freitas
APRESENTAÇÃO: Dia 19 de Outubro de 2017 (5.ª feira), às 18h30, no Restaurante da Ordem dos Engenheiros, em Lisboa. Apresentação do Comandante Carlos de Almada Contreiras

19/10/2017
NEM TUDO ACONTECE POR ACASO, de Manuel do Nascimento
LANÇAMENTO: dia 19 de Outubro (5.ª feira), às 18h30, no Consulado-Geral de Portugal em Paris, França

29/07/2013
Colibri no Facebook
A nossa página no Facebook www.facebook.com/EdicoesColibri

31/05/2013
CONTACTO
Contacto telefónico 21 931 74 99